A nova versão 13: Dez/2014 do software de Interpretação Brasileira de Genotipagem apresenta importantes atualizações nas regras para a interpretação das mutações associadas à resistência aos antirretrovirais. Para a definição do subtipo, é necessário, além do arquivo .csv, adicionar o arquivo .fasta ao programa, conforme instruções da página. O subtipo sairá impresso no laudo da Renageno. Observações importantes: As regras para interpretação das mutações mudam na medida que novos conhecimentos são incorporados. Não existe um consenso internacional de como interpretar as mutações. Algoritmos diferentes podem gerar resultados conflitantes. O teste de genotipagem deve ser interpretado em conjunto com os dados clínicos e historia prévia do uso de antirretrovirais. As mutações podem desaparecer rapidamente quando os antirretrovirais são suspensos. A amostra de sangue deve ser coletada na vigência do esquema terapêutico que está sendo avaliado. Caso você queira fazer sugestão ou não concorde com a interpretação de algum caso clinico, favor enviar mensagem para clab@aids.gov.br, ou pelo telefone (61) 3315-7643. Sua contribuição será extremamente útil para a melhoria do nosso algoritmo.

Para acessar a página do Algoritmo Brasileiro:

 
 

 
Secretaria de Vigilância em Saúde
Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais